Segunda-feira, 29 de Setembro de 2008

Replicação do DNA

O DNA, sendo suporte da informação genética, necessita de se auto-reproduzir, fazendo cópias dessa informação, de modo a transmiti-la de geração em geração.

Para explicar a replicação do DNA existem três modelos:

 

- Hipótese conservativa: a molécula de DNA progenitora mantém-se íntegra, servindo apenas de molde para a formação da molécula-filha, a qual seria formada por duas novas cadeias.

 

- Hipótese dispersiva: cada molécula-filha é formada por porções da molécula inicial e por regiões sintetizadas de novo, a partir dos nucleótidos presentes na célula.

 

- Hipótese semiconservativa: cada uma das cadeias serve de molde para uma nova cadeia e, consequentemente, cada uma das novas moléculas de DNA é formada por uma cadeia antiga e uma cadeia nova.

 

Apenas a hipótese semiconservativa é a aceite, pois foi a única provada através de experiências. Então passo a explicar neste post as experiências efectuadas em 1958 por Meselson e Stahl em que provaram este mecanismo de replicação de DNA:

 

Experiência A

1. Cultivaram bactérias (Escherichia coli) em meios de cultura diferentes: um contendo um isótopo pesado de azoto (15N) e outro contendo azoto normal (14N);

2. Extraíram o DNA das bactérias presentes em cada um dos meios de cultura e procederam à sua centrifugação;

3. Verificaram que as cadeias de DNA das bactérias cultivadas no meio contendo 15N eram mais densas do que as cadeias de DNA das bactérias que cresceram no meio com azoto normal.

 

Experiência B

1. Cultivaram a bactéria num meio de cultura com 15N;

2. Após várias gerações de bactérias se terem desenvolvido no meio com azoto pesado, foram transferidas para um meio de cultura com azoto normal (14N). Imediatamente após a transferência, foi retirada uma amostra de onde se extraiu o DNA que foi sujeito a centrifugação (Geração O). Esta geração depositou-se no fundo do tubo de ensaio, dado que apenas possuem azoto denso (15N);

3. Ao fim de 20 minutos (tempo suficiente para que as bactérias se dividam e formem uma nova geração, Geração 1), foi retirada uma amostra, extraído o DNA e centrifugado. Esta geração assumiu uma posição intermédia no tubo de ensaio, dado que cada molécula de DNA apresenta uma cadeia de nucleótidos com 15N(que provinha da geração O) e outra com 14N (formada com nucleótidos que incorporaram o azoto presente no meio).

4. Ao fim de 40 minutos, foi retirada uma nova amostra (Geração 2) que foi sujeita ao procedimento anterior. Nesta geração, 50% das moléculas depositaram-se na zona intermédia do tubo (as duas moléculas de DNA apresenta uma cadeia de nucleótidos com 15N e outra com 14N) e os outros 50% depositaram-se na parte de cima do tubo de ensaio (as duas cadeias polinucleótidicas possuíam apenas nos seus nucleótidos azoto normal).

 

 

 

 

Aqui está um link de um site em que se explica (em inglês) esta experiência:

http://highered.mcgraw-hill.com/olc/dl/120076/bio22.swf

 

 

 

publicado por Soraia às 21:09
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Notícia: Contaminação de ...

. Reservatórios de água sub...

. Recursos Minerais

. Notícia: Energias Renováv...

. Recursos Energéticos

. Metamorfismo

. Deformação das rochas

. Rochas Magmáticas

. Magmatismo: Consolidação ...

. As rochas sedimentares, a...

.arquivos

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds