Quarta-feira, 17 de Dezembro de 2008

Darwinismo

Darwin, aos 22 anos, partia abordo de um navio de armada britânica, o HMS Beagle. Nesta viagem, Darwin recolheu uma extensa quantidade de dados que mais tarde utilizou na fundamentação da sua teoria sobre a origem das espécies. Os dados mais importantes foram:

 
Dados da Geologia
Também a leitura da obra de Charles Lyell, mais especificamente, a Teoria do Uniformitarismo (princípio das causas actuais e gradualismo) influenciou Darwin: assim como acontecia com os fenómenos geológicos, também as espécies teriam evoluído lenta e gradualmente, modificando as características presentes nalgumas espécies. Os fósseis e fenómenos vulcânicos que Darwin tinha observado, contribuíram para a aceitação desta teoria por parte dele, assim como a idade da Terra estimada na altura (vários milhões de anos), que era considerada suficiente para permitir essa evolução lenta e gradual.
 
 
Como se pode observar pela seguinte figura, os fósseis apresentam diferenças de estrato para estrato.
 
 
 
Dados da Biogeografia
Darwin constatou que as espécies de Cabo Verde eram semelhantes às da Costa africana, mas diferentes das espécies das Galápagos.
A explicação encontrada por Darwin para esta situação foi a de que as espécies dessas ilhas eram mais parecidas com as do continente por partilharem um ancestral mais recente, logo as semelhanças seriam resultado de uma descendência comum.
Nas Galápagos, ao analisar tentilhões, Darwin apercebeu-se que estes eram diferentes de ilha para ilha. Mas apesar dessas diferenças apresentavam grandes semelhanças entre si. Também eram parecidos aos da costa americana. Portanto deveriam ter uma origem comum. As condições existentes em cada ilha condicionariam, então, a evolução de uma espécie de tentilhão, conduzindo à diversidade observada.
 
 
Mas não o observou somente com os tentilhões. Também com as tartarugas se passava o mesmo. 
  
 
 
Selecção natural
Darwin pôs em evidência o mecanismo essencial que dirige a evolução , a selecção natural. A selecção natural explica que os seres mais aptos sobrevivem e espalham na natureza os caracteres mais favoráveis. Dado que o ambiente não possui os recursos necessários para a sobrevivência de todos os indivíduos que nascem, deverá ocorrer uma luta pela sobrevivência durante a qual serão eliminados os menos aptos.
 
A teoria de Darwin pode ser resumida no seguinte raciocínio:
 
todas as espécies apresentam, dentro de dada população, indivíduos com pequenas variações nas suas características, como, por exemplo, na forma, no tamanho e na cor.
 
as espécies originam mais descendentes do que aqueles que podem sobreviver.
na luta pela sobrevivência, os descendentes que possuem variações vantajosas, relativamente ao meio em que se encontram, têm maior taxa de sobrevivência, sendo eliminados os indivíduos que possuem variações desfavoráveis – Selecção natural.
 
os indivíduos portadores de variações favoráveis transmitem as suas características à descendência.
a selecção natural, actuando ao longo de muitas gerações, conduz à acumulação das características mais vantajosas nos descendentes pelo que os indivíduos serão tão diferentes que eventualmente poderão vir a constituir novas espécies.

 

 

 

publicado por Soraia às 17:12
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Notícia: Contaminação de ...

. Reservatórios de água sub...

. Recursos Minerais

. Notícia: Energias Renováv...

. Recursos Energéticos

. Metamorfismo

. Deformação das rochas

. Rochas Magmáticas

. Magmatismo: Consolidação ...

. As rochas sedimentares, a...

.arquivos

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds